Coronavírus: dúvidas ou sintomas suspeitos? Fique em casa e ligue para a Vigilância Sanitária da sua cidade. Clique aqui e saiba mais.

O que está acontecendo

Dor de cabeça ou enxaqueca: entenda as diferenças e sintomas

Uma das queixas mais comuns no dia a dia de muita gente é a dor de cabeça. Ela pode acontecer por diversos fatores, mas, quando frequente, é possível que ela seja associada a uma crise de enxaqueca.

A enxaqueca é um tipo de dor de cabeça que, de acordo com a Sociedade Brasileira de Cefaleia (SBC), atinge cerca de 15% da população brasileira – ou seja, mais de 30 milhões de pessoas sofrem com essa condição no país. Por atingir diretamente o bem-estar de quem a sente, é importante saber identificar a necessidade de um tratamento específico.

 

Sintomas de enxaqueca

Carlos Altieri, neurologista do Hospital Sírio-Libanês, explica que a enxaqueca provoca crises de dor de cabeça que podem ter a intensidade moderada ou acentuada. Alguns dos sinais são:

• Dor que costuma atingir a metade da cabeça;

• Dor pulsátil;

• Náuseas;

• Intolerância à luz e ruídos;

• Mal estar;

 

Ela também pode ser iniciada após fenômenos deficitários neurológicos, como perdas do campo visual e formigamentos. As crises de enxaqueca podem durar horas ou, apesar de menos frequente, dias. Diversos fatores podem desencadear essas dores, como:

• Alimentos (frutas cítricas, chocolate, carnes processadas);

• Bebidas (café, refrigerante, excesso de álcool);

• Tensão emocional;

• Variações hormonais e menstruais.

 

Além da diferença nos sintomas, alguns dados divulgados pelo Ministério da Saúde ajudam a diagnosticar e diferenciar a enxaqueca de outros tipos de dores de cabeça. De acordo com o MS, as crises tendem a acometer mais mulheres, entre 20 e 40 anos de idade, com dor que se intensifica ao movimentar a cabeça.

 

Tipos de dores de cabeça

De acordo com a SBC, existem mais de 200 tipos de dores de cabeça. Elas podem ser causadas por diferentes motivos. Dessa forma, além das diferenças nos sintomas, a região em que o incômodo se apresenta também se torna um fator importante para ser observado.

• Sinusite: A sinusite é uma inflamação que atinge os seios da face, normalmente acompanhada de quadro alérgico e redução do olfato.

• Tensão: A tensão pode ocorrer por fatores como estresse, criando uma sensação de pressão ao redor da cabeça.

• Cefaléia: A cefaléia é o nome científico da dor de cabeça. Não há um motivo específico para a causa da dor, já que esse incômodo pode se apresentar por diversas razões. Alguns exemplos são a fome, cansaço, sono ou até mesmo excesso de exercícios físicos.

 

Uma das condições que apresenta sintomas similares à enxaqueca é o Pseudotumor Cerebral, também chamado de Hipertensão Intracraniana Benigna. De acordo com o médico neurocirurgião Fernando Gomes, esse fator possui os seguintes sinais:

• Dor de cabeça constante;

• Náuseas;

• Vômitos;

• Perda progressiva da visão.

 

A melhor forma de identificar o tipo de dor de cabeça é observando as características dos sintomas, assim como a área atingida e a duração da crise. Fernando explica que alguns exames complementares também podem ser utilizados para identificar a causa do problema, incluindo exame de sangue, eletroencefalograma e neuroimagem do encéfalo.

O tratamento da dor de cabeça varia de acordo com a causa do incômodo. O diagnóstico feito por um especialista é essencial para que a origem do problema seja identificado e o tratamento adequado seja indicado pelo médico.

A automedicação não é recomendada, podendo agravar a situação. Por isso, em caso de dores persistentes, procure o hospital mais próximo para tratar o incômodo.

Fonte: Paula Santos – Redação Minha Vida

 

 

Receba nossa newsletter
Clique aqui que ligamos para você