Coronavírus: dúvidas ou sintomas suspeitos? Fique em casa e ligue para a Vigilância Sanitária da sua cidade. Clique aqui e saiba mais.

O que está acontecendo

Otorrinolaringologista: o que ele faz e quando procurar?

Popularmente conhecido como otorrino, o otorrinolaringologista é um especialista da área médica clínico-cirúrgica cada vez mais requisitado. Questões como ouvir música alta com fones de ouvido, maior longevidade da população,tratando muito mais do que doenças do ouvido, nariz e garganta. Na verdade, é exatamente a importância dessas três áreas e suas interligações com as regiões que compreendem a cabeça e ao pescoço, que tornam a otorrinolaringologia uma das mais completas áreas da medicina, tendo o papel de pesquisar, tratar e acompanhar diversos outros problemas muito mais frequentes do que se imagina.

Mas você sabe exatamente o que é, do que trata e como é a atuação do otorrinolaringologista? Neste artigo, tire essas e outras dúvidas sobre essa área médica!

 

O que trata um otorrinolaringologista

Quem nunca sofreu com uma inflamação na garganta que lhe deixou sem voz, perdeu várias noites de sono por causa de um zumbido insuportável no ouvido ou precisou ficar trancado em um quarto escuro sem aguentar sequer ver a luz do sol por causa de uma enxaqueca daquelas, talvez não compreenda a importância de um otorrinolaringologista. Mas esses especialistas fazem toda a diferença na qualidade de vida de quem sofre de problemas como: infecções e inflamações das vias aéreas, distúrbios digestivos, da fala, audição, cefaléias, tonturas, zumbidos, tosse, problemas de sono, trauma facial e tumores, por exemplo. Além de ainda poderem ajudar na terapia especializada em radiologia, endoscopia, eletrofisiologia e cirurgias cérvico-faciais.

Dentre os principais sintomas e doenças cuja análise e tratamento são de responsabilidade do otorrinolaringologista, podemos destacar:

  • Rinite: irritação e inflamação das cavidades nasais.
  • Sinusite: irritação e inflamação dos sinos nasais.
  • Desvio do septo nasal: distúrbio na parede de cartilagem entre as narinas. Pode ser congênito ou resultante de processos inflamatórios ou infecciosos, podendo causar interferências na função respiratória.
  • Polipose nasal: formações polipoides (tumores benignos) detectadas nas cavidades nasais e nos seios paranasais. Ocorre como resultado de processo inflamatório crônico da mucosa nasal.
  • Apneia: relaxamento dos músculos da garganta e fechamento das vias respiratórias, impedindo a respiração adequada do paciente.
  • Surdez: sendo a perda auditiva parcial ou total, além de zumbidos.
  • Otites: infecção do ouvido médio, podendo resultar em inflamações e acúmulo de secreção na região.
  • Amidalite: infecção das amígdalas, tecido atrás da garganta. Pode causar febre, dor de garganta e inchaços na região do pescoço.
  • Faringite: infecção bacteriana ou viral na parte posterior da garganta.
  • Paralisia facial: perda de movimento nos músculos da face por conta de problemas nos nervos.
  • Dificuldade para engolir: sintoma que pode estar ligado a doenças que afetem garganta e pescoço.
  • Alterações nas pregas vocais: nódulos ou calos, geralmente identificados pelo sintoma da rouquidão, podendo indicar problemas relacionados.
  • Labirintite e distúrbios do labirinto: podendo causar sintomas de tontura, náuseas, zumbidos no ouvido e, até mesmo, diminuição na audição.
  • Outras situações: envolvendo câncer nas cordas vocais, câncer da laringe, pólipos nasais, distúrbios do sono, perfuração do tímpano, tumores cervicais benignos e malignos, dentre outras.

Como é possível perceber, existem sintomas que podem vir a evoluir para quadros mais críticos e se tornarem doenças que exijam a atenção especializada do otorrinolaringologista. Por outro lado, existem sintomas mais comuns e menos sérios, que são facilmente controlados. Um resfriado, por exemplo, causa inflamações na garganta e nas mucosas. Apesar disso, raramente trata-se de um quadro que evolua para uma pneumonia ou algo mais grave.

Quando procurar um otorrinolaringologista?

Muitas vezes, a consulta com o otorrinolaringologista é indicada por outro médico – como clínico geral ou pediatra – que identificou alguma possível doença no ouvido, no nariz ou na garganta do paciente. Ainda, deve-se procurar esse profissional sempre que se sentir alguma anormalidade ou desconforto nessas áreas do corpo.

Dada a abrangência de atuação do especialista, ele exerce papel fundamental em todas as fases de nossa vida. Casos de otites e amigdalites comumente levam as crianças ao seu consultório. Já no caso dos adultos, quadros de rinite ou sinusite frequentemente são motivações para buscar o auxílio desse médico. E na terceira idade, situações de surdez ou distúrbios relacionados ao equilíbrio são alvo constante da procura pelo especialista.

Por fim, destacamos que sempre que sintomas como os descritos a seguir se manifestarem, é hora de procurar o auxílio de um otorrinolaringologista:

  • Dor de garganta ou dificuldade para engolir;
  • Dor ou desconforto nos ouvidos;
  • Dor de cabeça ou na face;
  • Zumbido nos ouvidos;
  • Má qualidade do sono;
  • Problemas de equilíbrio;
  • Sangramento nasal;
  • Rouquidão;
  • Secreção nos ouvidos;
  • Redução da acuidade auditiva;
  • Coriza intensa;
  • Amígdalas aumentadas;
  • Presença de cáseo nas amígdalas;
  • Tontura.

A avaliação de um otorrinolaringologista é importante para um rápido e correto diagnóstico. Assim, se você tem alguns dos sintomas listados acima, procure um especialista em otorrinolaringologia parceiro da Diersmann!

Fonte: www.ouviclin.com.br

Receba nossa newsletter
Clique aqui que ligamos para você