O que está acontecendo

A importância da bula dos medicamentos

O mercado de medicamentos tem se tornado cada vez mais movimentado. A bula representa o principal material informativo fornecido aos pacientes. Por lei, todo medicamento deve vir acompanhado por uma bula dentro da embalagem. Trata-se de ficha completa com as informações importantes sobre o produto. Na bula, estão descritos: composição do medicamento, indicações, modo de usar, interações medicamentosas, efeitos colaterais, entre outros dados relevantes.

Muitas vezes, os próprios profissionais da saúde deixam de esclarecer pontos importantes sobre o medicamento e o tratamento a ser realizado, por isso, além de questioná-los, os usuários devem desenvolver o costume de ler a bula, tornando-o um hábito cultural. Assim, ele passará a entender melhor seu tratamento e saberá tudo o que é importante sobre o medicamento, para que possa ter uma participação ativa dentro desse contexto e em prol da sua saúde.

Podem ocorrer erros durante as etapas do uso racional do medicamento, que engloba desde a consulta, passando pela prescrição, dispensação e utilização do mesmo. Uma maneira de evitá-los é a leitura da bula. Outro ponto positivo em relação ao conhecimento das características do medicamento através da bula é uma maior adesão do usuário ao tratamento, principalmente os crônicos, que apresentam problemas relacionados ao seguimento do tratamento por insuficiência de informação.

Tanto a informação verbal como a escrita são importantes e complementares, por isso, é função do farmacêutico, além de orientar os usuários e pontuar todos os itens relevantes sobre o medicamento e o tratamento, estimular a leitura da bula e ensinar como manuseá-la e entendê-la, já que atualmente, devido às exigências legais, o seu conteúdo ficou acessível à população. Isso também poderia evitar problemas de fácil resolução, se fossem descobertos precocemente.

 

A importância da bula para o paciente

Considerando que na bula contém informações preciosas sobre a ação do medicamento no organismo, já entendemos o quanto é indispensável a sua leitura por parte do paciente. Na bula também contém outras informações importantes como:

• Riscos oferecidos pelo medicamento: informações sobre quais são os riscos ao ingerir aquele medicamento, se há riscos em dirigir ou operar alguma máquina.

• Reações adversas: quais as reações seu organismo pode apresentar, tais como alergias, tonturas, vômitos etc.

• Conduta no caso de superdosagem: como reagir no caso de ingerir uma quantidade maior que a indicada, se é necessário procurar ajuda médica com emergência, ou se o próprio organismo se encarrega de eliminar o excesso.

• Posologia, dosagem e sua administração correta: como deve ser administrada a medicação, dosagem, horários e formas de administrá-la.

• Contra-indicação: na bula existem informações de quais pacientes não devem utilizar o medicamento. Também apresenta a lista da sua composição, facilitando para paciente a identificação de compostos que não devem ser administrados por algum motivo.

• Cuidados na conservação: qual temperatura deve ser conservado, se há a necessidade manter em local resfriado, ou se precisa evitar a luz, são algumas das informações sobre o armazenamento que o paciente irá encontrar na bula.

 

Aquele papel só assusta porque ele está dobrado muitas vezes para caber na caixinha. Veja com o dr. Drauzio quais as partes mais importantes da bula, parte fundamental para o sucesso do tratamento.

Receba nossa newsletter
Clique aqui que ligamos para você