O que está acontecendo

Pressão arterial: entenda mais sobre ela!

Quem é hipertenso ou tem alguém com esse problema na família, sabe quão silenciosa é a doença. Segundo os especialistas, quando a hipertensão se instala, raramente dá sinais, e quando isso acontece, é porque na maioria das vezes já se perdeu o controle, ou seja, deixou de ser um mal estar temporário para se tornar uma doença crônica.

Dados da Sociedade Brasileira de Hipertensão dão conta que a doença é tão comum que acomete uma em cada quatro pessoas adultas no Brasil. Dessa forma, estima-se que ela afeta em torno de, no mínimo, 25% da população brasileira adulta, chegando a mais de 50% das pessoas com mais de 60 anos. Isso sem contar que cerca de 5% das crianças e adolescentes no Brasil sofrem com o mal. Ou seja, a hipertensão arterial é um problema de saúde pública.

Diversos fatores contribuem para a elevação da pressão arterial, dentre eles a obesidade, o sedentarismo, o estresse, a herança familiar e o consumo excessivo de bebidas alcoólicas.

 

Doença silenciosa

Você não deve esperar aparecerem os sintomas da hipertensão, como dor de cabeça, tonturas, enjoos e falta de ar, para medir a pressão. De acordo com o Ministério da Saúde, aferir a pressão regularmente é a única maneira de diagnosticar a hipertensão. A recomendação é que pessoas acima de 20 anos devem medir a pressão ao menos uma vez por ano. Porém, se houver casos de pessoas com pressão alta na família, essa aferição deve ser feita ao menos duas vezes por ano, de acordo com orientação médica. E a verificação da pressão pode ser feita tanto com o aparelho em casa, em casos de pessoas com predisposição à doença, quanto em postos de saúde e pronto-socorro.

Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia de São Paulo (Socesp), para a maioria das pessoas, a pressão é considerada alta quando os valores das pressões máxima e mínima são iguais ou ultrapassam os 140/90 mmHg (ou 14 por 9). A hipertensão faz com que o coração tenha que exercer um esforço maior do que o normal para fazer com que o sangue seja distribuído corretamente no corpo.

 

Os 10 passos para medir a pressão arterial em casa

  1. Evite fazer a medição após grandes refeições e também o consumo de café e bebida alcoólica ao menos 30 minutos antes da aferição;
  2. Sente-se confortavelmente numa cadeira, descruze as pernas e aguarde de cinco a dez minutos, para relaxar. Se tiver feito atividade física antes, aguarde de 60 a 90 minutos;
  3. Deixe os braços livres de roupas e, então, coloque a braçadeira. Ela precisa estar somente em contato com a pele;
  4. Mantenha o braço relaxado na altura do coração, com a palma da mão virada para cima;
  5. Com a mão direita, conecte a extensão da borracha da braçadeira e ligue o aparelho;
  6. Quando o aparelho indicar que está pronto para começar a medição, ligue. A braçadeira começará a encher e você deve evitar se mexer, para não atrapalhar a medição;
  7. Quando a braçadeira esvaziar e aparecer uma sequência de números, é que a aferição foi realizada. O primeiro valor a aparecer é a sistólica, ou a pressão máxima. O segundo é a pressão mínima, a diastólica. Se aparecer um terceiro valor, trata-se do pulso;
  8. Anote os valores como está escrito no visor;
  9. Se der alterada, ou seja, o valor for acima de 140/90 mmHg (ou 14 por 9), aguarde um ou dois minutos e verifique novamente para se certificar, antes de tomar a medicação receitada pelo médico;
  10. Quando terminar, desligue o aparelho.

Como avaliar os resultados

Confira abaixo um exemplo de valores que merecem a sua atenção. Vale ressaltar que o médico deve ser sempre consultado para o parecer final:

Receba nossa newsletter
Clique aqui que ligamos para você